Intercâmbio de férias como funciona

Vale a pena fazer um intercâmbio de férias? Como funciona um intercâmbio de férias.

Intercâmbio de férias como funciona

Com as férias chegando, muitas pessoas pensam em aproveitar esse tempo para fazer um intercâmbio, mas será que é o ideal? O diretor da Eagle Brasil, Cláudio Cantamessa, explica tudo!

Com o fim do distanciamento social da pandemia de Covid-19, fica a questão: como “resgatar” os momentos perdidos? Se a ideia é reavivar as experiências nesse período de recomeços, um intercâmbio de férias  pode ser uma ótima pedida para toda a família.

Afinal, essa é uma oportunidade que une educação, entretenimento e desenvolvimento pessoal. Sabe aquelas três ferramentas maravilhosas que são vitais para um futuro brilhante daqueles que têm essa vivência? É sobre isso! Sobre isso e muito mais, por sinal.

“Divertido, prazeroso e desafiador: é assim que muitos intercambistas percebem essa jornada incrível. Seja para adolescentes, jovens ou adultos, a verdade é que existe um amplo leque de opções para quem se interessa pelo intercâmbio de férias. ”, comenta Claudio Cantamessa.

Intercâmbio de férias como funciona

A seguir, o diretor da Eagle Brasil, agência de intercâmbio com sede na Califórnia, traz algumas vantagens de programar um intercâmbio nas férias. E aqui vai um spoiler: não é preciso ter o inglês avançado para começar essa jornada, sabia disso? 

4 Dicas para um bom intercâmbio de férias

Intercâmbio de férias

1. Vivência que faz a diferença no mercado de trabalho
 

Em um programa de férias, temos um ambiente propício para observar as situações por outras perspectivas. Afinal, muitos conhecimentos e habilidades podem se desenvolver (ou despertar) no decorrer dessa jornada.

Assim, o intercambista terá mais subsídios para buscar novos caminhos e resolver questões de forma inovadora e criativa. 

2. Estímulo à autoestima dos jovens

É essencial fomentar a autoestima dos jovens, estimulando a autonomia necessária para o seu desenvolvimento. No programa de férias para menores, por exemplo, é possível sair da “zona de conforto” e se deparar com situações desafiadoras, de maneira segura e saudável. 

São aprendizados vitais para a autoconfiança na vida adulta, o que acontece de forma natural na viagem de intercâmbio. No fim das contas, o intercambista terá mais autoconfiança e segurança para tomar decisões assertivas na vida pessoal e profissional.

3. Existe (muita) vida além da tecnologia

Durante o programa de férias, pode-se privilegiar a socialização ao invés do uso excessivo de recursos virtuais. Isso significa que os intercambistas terão atividades que demandam desenvoltura e comunicação, além de buscar o suporte dos colegas para resolver desafios.

Em contrapartida, vale lembrar que a tecnologia pode ser a chave para quem quer atuar na área de STEM. Aliás, os EUA valorizam tanto o segmento que até promovem a permissão de trabalho estendida para quem estuda Science, Technology, Engineering e Mathematics.

4. Oportunidade de amadurecimento no intercâmbio e nas férias

Estar fora da zona de conforto traz a compreensão do impacto das decisões em suas próprias vidas – e nas dos outros. Diferentemente da rotina de casa, em que pode haver alguém micro gerenciando as atividades diárias, o intercâmbio traz mais independência. 

Sobre: A Eagle intercâmbio é uma startup localizada no Vale do Silício (Califórnia), sendo a primeira agência de intercâmbio feita totalmente por brasileiros na região. Com clientes oriundos de diferentes localidades, a presença física da equipe da Eagle nos Estados Unidos e a parceria com escolas Canadenses, permite com que a empresa dê suporte em tempo real, aos seus alunos, entendendo e identificando as necessidades de cada um deles. Dessa forma, a startup faz parte de um seleto grupo de agências, com um dos maiores índices de aprovação de vistos para alunos brasileiros, carregando em sua trajetória até hoje mais de 2000 alunos brasileiros formados pela Eagle. Para saber mais acesse: www.eagleintercambio.com