Quais os sintomas do ciúme obsessivo e doentio

Há quem garanta que o ciúme é o tempero do amor. 


Outros justificam esse sentimento afirmando que quem ama, cuida. 

Acho que as duas afirmações fazem algum sentido, especialmente se considerarmos a dose. 

Isso porque ciúme excessivo em vez de temperar, envenena. E quem ama, cuida sim, mas também se lembra de que monstros e situações mal resolvidas minam qualquer intenção, por melhor que ela seja.

A ideia não é brigar com os sentimentos, sejam eles quais forem. Sentimentos são humanos e podem nos ensinar muito sobre quem somos. São chaves para o autoconhecimento e para a conquista da maturidade. Portanto, a ideia é aprender a percebê-los e a lidar com eles. 

No caso do ciúme, o aprendizado é experimentá-lo com bom senso e equilíbrio, mas sei que muitos não conseguem sequer imaginar essa combinação. 

Ciúme, em muitos casos, não tem absolutamente nada a ver com bom senso e equilíbrio. E é aí que está o problema.

Vale esclarecer que este sentimento não tem, necessariamente, a ver com os fatos. 

Explico: 

Tem gente que acredita que o outro só pode se sentir enciumado se tiver um motivo. Ou seja, se o outro estiver olhando para os lados, paquerando ou traindo. 

Não é bem assim. Claro que o ciúme pode ser motivado pela realidade, mas em muitos casos tem mais a ver com quem o sente, do que com o que o outro faz.

Uma pessoa pode sentir ciúme por estar insegura, por não confiar no outro, por conta da atitude de um terceiro, por ter medo de ser enganado, entre várias outras razões. E vale lembrar também que chamar o ciumento de "maluco", "lunático" ou qualquer adjetivo pejorativo não ajuda em nada. 

É provável que o ciumento só queira ser acolhido. 

Na maioria das vezes, basta ouvi-lo e se colocar no lugar dele para que se acalme. Aí sim, a situação se torna motivo para esquentar a relação, e pode até render uma picante noite de amor.

Por outro lado, é muito importante que o ciumento se observe e reflita sobre seu comportamento. 

Sentir ciúme é aceitável – e até compreensível –, mas criar constrangimentos ao seu redor, reagir sem ponderar, "fazer barraco" e "descer do salto", acusando os outros de serem os únicos responsáveis por seus próprios sentimentos, é sinal de imaturidade e falta de noção. E isso é realmente muito desgastante.

Creio que a questão essencial seja: do que você é capaz quando está com ciúme? Existem pessoas que choram, outras que gritam, se fecham, ficam sem falar com o outro, fazem escândalo, rompem a relação (ou a tornam o centro de toda a sua vida) e ainda aquelas que são capazes de matar – literalmente – a pessoa que julgam ser culpada pelo que sentem. 

É fácil perceber as inúmeras explicações que existem para justificar o ciúmes. No entanto, o mais importante é se conhecer e saber dosar esse sentimento para que ele não se transforme em algo exagerado.

Se você tem se dado conta de que o ciúme é um problema (e até um obstáculo para o seu sucesso no amor), saiba que descobrir a resposta para esta pergunta (do que você é capaz quando está com ciúme?) vai revelar muito a seu respeito. E vai possibilitar que você se empenhe em encontrar maneiras mais criativas e coerentes de lidar com o que sente. Porque esta é a única diferença entre quem é feliz e quem não é: não o que você sente, mas como lida com seus sentimentos.

Por Rosana Braga: consultora de relacionamento e comunicação do ParPerfeito, palestrante, jornalista e escritora.

Tags: Causas do ciúme doentio e obssessivo, como evitar o ciúme doentio, quais os sentimentos de quem é ciumento.

Postar um comentário

0 Comentários