Como ter sucesso na internet

Super dicas de uma especialista para se obter sucesso na internet


Egressa de Publicidade diz que uma simples conversa de bar pode se transformar em estratégia para a empresa.

Pesquisar, monitorar, conversar, observar, planejar. Esses verbos em primeira conjugação são sinônimos e há provas disso. Algumas delas são apresentadas pela egressa de Publicidade e Propaganda da ULBRA, Aline Faber, em seu artigo de conclusão de curso que aborda a Inteligência Competitiva (IC). Funcionária de uma indústria multinacional do segmento agrícola, ela aponta essa prática de marketing como a saída para quem deseja sobreviver à guerra de mercado.

Na Inteligência Competitiva, a pesquisa, observação e o planejamento apurado fazem a diferença.

 Conversar com colegas de serviço, ouvir notícias na rádio e navegar na internet também são exercícios de IC, segundo Aline. “Nossas fontes de pesquisa podem ser formais, como um documento ou relatório técnico, ou informais, como uma conversa de bar ou observação em feiras”, comenta a publicitária. De acordo com ela, a prática da IC ainda engatinha no Brasil, mas nos países desenvolvidos é filosofia que rege ações de comunicação e administração.

Segundo Aline, qualquer empresa pode implementar um programa de Inteligência Competitiva e algumas, inclusive, já utilizam ferramentas de IC, sem saber. No entanto, torna-se fundamental ter planejamento e organização para obter resultados. “Para agir de acordo com o mercado, primeiro precisamos saber do que ele necessita”, afirma. 

No caso de seu artigo, Aline, com a orientação da professora Valesca Reichelt, propôs alterações na comunicação com os públicos da indústria, a partir de informações colhidas de maneira formal e informal. O portal de IC da empresa tinha uma linguagem muito técnica e visual que desfavorecia a interação com o usuário. A partir de uma pesquisa, Aline sugeriu alterações que facilitam a comunicação, favoreçam o negócio e sirvam para fixar a marca da empresa.

Também é importante ressaltar o crescimento no marketing digital e os efeitos que isso tem na carreira de um bom profissional e também do seu negócio quando for o caso.

PUBLICIDADE NÃO É SÓ CRIAÇÃO - O artigo da egressa da ULBRA teve um pouco de pioneirismo, visto que a literatura sobre IC no Brasil é pouca. Isso chamou a atenção dos organizadores do IV Simpósio Internacional de Administração e Marketing, que aceitaram o estudo e a convidaram para apresentá-lo no evento, ocorrido em São Paulo recentemente. O material também será publicado nos anais do Simpósio. Aline diz que nas grandes empresas, principalmente multinacionais, existe um departamento exclusivo de Inteligência Competitiva para monitorar concorrentes, observar o mercado, colher a opinião dos públicos e sugerir estratégias de comunicação e administração. O planejamento de médio e longo prazo estaria ligado umbilicalmente ao setor de IC.

A parte estratégica da comunicação sempre chamou a atenção de Aline. Tanto que ao ingressar na Universidade foi na contramão da maioria dos alunos de Publicidade e Propaganda. “Quase todos entram na faculdade de publicidade e propaganda e só querem saber de criação, mas não é só com idéias criativas que se constrói um bom publicitário. 

É preciso que o profissional tenha uma visão geral do que é a comunicação e o marketing”, salienta. Afinal, no mercado competitivo, inteligência dificilmente vai rimar com falência.

Postar um comentário

0 Comentários