12 jul de 2016

Doação de embriões para casais inférteis

Categoria:
Saúde

Apenas 10% dos embriões congelados são destinados à doação para casais inférteis.

Casais inférteis têm grande dificuldade em encontrar embriões doados para tentar ter filhos. Isso acontece porque grande parte dos embriões congelados nas clínicas de reprodução humana do Brasil, e que não tem mais utilização por parte do casal progenitor, são destinados para fins científicos ou são descartados. Apenas a menor parte destes embriões fica disponível para a doação. No Grupo Huntington, maior centro de reprodução humana da América Latina, 90% desses embriões são autorizados para pesquisas ou descarte enquanto apenas 10% estão designadas à doação. "A doação de embriões é um recurso geralmente utilizado por casais que recorrem à medicina reprodutiva para engravidar quando ambos, homem e mulher, descobrem que possuem problemas graves de infertilidade ou quando há um parceiro fértil que se recusa a ter um filho sem a 'participação' genética do outro que é infértil", explica a Dra. Claudia Gomes Padilla, médica especialista em reprodução humana do Grupo Huntington. A necessidade de ter um filho, mesmo que sem a carga genética, gestado e nascido dentro de um contexto familiar, pode ser uma solução para esses casais.

De acordo com a médica, é raro encontrar um caso em que o casal receptor recorreu à doação de embriões até pela própria dificuldade em encontrar embriões com esse destino – o que demonstra também o desconforto de alguns pacientes, que poderiam ser doadores, de terem filhos biológicos gerados em outra família. Por pertencerem a casais que apresentaram gestações bem sucedidas, os embriões doados costumam apresentar boas taxas de gravidez.

Assunto é delicado e deve ter acompanhamento psicológico.
Publicidade:


É importante ressaltar que a gravidez por embrião de terceiros nem sempre é um processo psicologicamente tranquilo. Podem existir, por exemplo, preocupações quanto à semelhança do filho sem parentesco genético com os pais, traço muito valorizado culturalmente. "Quando se pretende engravidar por embriões doados, há uma série de avaliações que permitirão o cruzamento de características do casal receptor com o do casal doador. Elas acontecem para verificar se são parecidas, e até mesmo se existe alguma falha genética no histórico familiar do doador para ver se o desenvolvimento do bebê não será comprometido", diz a Dra. Claudia.

É imprescindível que os envolvidos passem também por um aconselhamento psicológico. O desejo da gravidez pode ser um imperativo na vida de muitos casais, e envolve uma série de questões que quando somadas ao fator dos embriões serem doados, devem ser analisadas com cautela. Impulsivamente o casal pode tomar a decisão pelo procedimento, sem antes ponderar como tratar do assunto em relação ao circulo social e familiar, até mesmo sobre o próprio filho no futuro. Sobre o Grupo Huntington
Criada em 1995, a Huntington Medicina Reprodutiva é um dos maiores grupos do Brasil, com cinco unidades instaladas em São Paulo e uma nova unidade em Campinas. Sob a direção de Paulo Serafini e Eduardo Motta, renomados especialistas na área, o grupo é referência nacional e internacional em tratamentos para fertilidade. A Huntington possui corpo médico e técnico-científico altamente capacitado, que se destaca na prática clínica, cirúrgica e tecnológica. Os principais tratamentos utilizados atualmente são: Inseminação Artificial, Fertilização in Vitro, além de técnicas de reversão de vasectomia e de laqueadura, entre outras.

Visite www.huntington.com.br

Assuntos Relacionados

 





Fechar [x]